Vou Confiar em Ti parte 3

Vou Confiar em Ti – parte 3

Vou Confiar em Ti Mesmo quando Tudo Corre Mal – parte 3

“Simão, fique firme! Satanás fez o que pôde para separar-te de mim, assim como se separa a palha do trigo, mas orei por ti em particular, para que não desanimes nem desistas.”

Lc. 22:31

“Não peço que os tires do mundo, e sim que os guardes do mal.”

João 17:15

Introdução

Podemos confiar em Deus quando tudo corre mal porque Jesus ora por nós, Jesus intercede por nós. O autor aos Hebreus é claro:

“Por isso, também pode salvar totalmente os que por Ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.”

Hebreus 7:25

Podemos confiar em Deus quando tudo corre mal, porque Deus pode salvar-nos totalmente, perfeitamente. Esta é a nossa confiança Nele. Jesus não apenas ora por nós, Jesus tem o poder de fazer com que a sua oração por nós seja cumprida. Mesmo neste tempo que estamos a viver, mesmo no meio desta pandemia, que cada vez mais ceifa vidas humanas, nós povo de Deus, nós filhos de Deus podemos confiar em Deus, porque o nosso Salvador e Redentor Jesus Cristo, vive para sempre, e para sempre intercede por nós.

A promessa que Jesus fez a Pedro, é a mesma promessa que Jesus faz a cada um nós. Jesus ora por nós, Jesus roga ao Pai para que nenhum de nós possa desanimar ou desistir. Este é o meu desejo para toda a nossa família Encontro Vida e para todos aqueles que nos lêem este documento. Não desanimes, não desistes.
Porque podemos ter esta confiança? É simples, porque o criador dos céus e da terra, O Rei dos reis e o Senhor dos senhores, ora por nós, intercede por nós, clama ao Pai por nós.

Pergunta para reflexão:
De que forma o facto de sabermos que Jesus intercede por nós, influencia a confiança em Deus nos tempos maus?

Leiamos João 17, na versão a Mensagem de Eugene Peterson:

“Tendo dito essas coisas, Jesus, erguendo os olhos em oração, disse: “Pai, chegou a hora! Manifesta o glorioso esplendor do teu Filho Para que o Filho, por sua vez, possa manifestar teu glorioso esplendor. Tu o designaste responsável por toda a humanidade Para que ele possa dar vida real e eterna a todos que lhe deste. E esta é a vida real e eterna: Que conheçam a ti, O único Deus verdadeiro, E a Jesus Cristo, a quem enviaste. Eu te glorifiquei na terra, Ao cumprir até o último detalhe Tudo que me mandaste fazer. Agora, Pai, glorifica a mim com teu esplendor, Aquele esplendor que eu tinha na tua presença Antes que houvesse mundo”. “Eu manifestei teu caráter em detalhes Aos homens e mulheres que me deste. Eles eram teus antes de qualquer coisa, E os deste a mim, Eles agora fazem o que dizes. Eles sabem agora, sem sombra de dúvida, Que tudo que me deste, era originariamente teu, Pois a mensagem que me deste, eu transmiti a eles. Eles a receberam e foram convencidos De que vim de ti. Eles creram que me enviaste. Oro por eles. Não oro pelo mundo, que rejeitou Deus, Mas por aqueles que me deste, Pois eles são teus por direito. Tudo que é meu é teu, e tudo que é teu é meu. E minha vida é visível neles, Pois não vou mais me manifestar ao mundo. Eles vão continuar no mundo Enquanto retorno para ti. Pai Santo, guarda-os enquanto eles perseveram nesta vida, Que conferiste como um dom, por meu intermédio, De modo que eles possam ser um só coração e uma única mente, Assim como somos um coração e uma mente. Enquanto eu estava com eles, eu os guardei, Na busca da vida que deste por meu intermédio. Eu me posicionei como um vigia noturno, E nenhum deles se perdeu, Exceto o rebelde que se inclinou à destruição (a exceção que confirma a regra das Escrituras)”. “Agora volto para ti. Digo estas coisas para que o mundo ouça, Para que meu povo possa experimentar Minha alegria completa neles. Eu dei a eles tua palavra. O mundo mau os odiou por causa disso, Porque eles não adotaram o estilo de vida do mundo. Não peço que os tires do mundo, Mas que os guardes do Maligno. Eles não são mais orientados pelo mundo, Assim como eu também não sou. Faze-os santos — consagrados — com tua verdade. Tua palavra é verdade que consagra. Assim como me deste uma missão no mundo, Eu dei a eles uma missão no mundo. Eu me consagro por causa deles, Para que eles sejam consagrados à verdade em sua missão”.  “Oro não apenas por eles, Mas também por todos os que crerão em mim Por causa deles e do testemunho deles a meu respeito. O alvo para todos eles é tornar-se um só coração e uma única mente — Assim como tu, ó Pai, és em mim e eu em ti. Para que possam ser um só coração e uma única mente connosco. Então, o mundo poderá crer que tu, de fato, me enviaste: A mesma glória que me deste eu dei a eles. Para que eles estejam unidos como nós estamos — Eu neles e eles em mim. Assim, eles amadurecerão nessa unidade e darão evidência ao mundo mau de que tu me enviaste e os amaste do mesmo modo que amaste a mim”.  “Pai, é meu desejo que todos aqueles que me deste Estejam comigo, bem onde eu estou, Para que possam ver minha glória, o esplendor que me deste, Tendo me amado Muito antes que houvesse mundo. Pai Justo, o mundo nunca te conheceu, Mas eu te conheço, e esses discípulos sabem Que me enviaste nesta missão. Eu revelei teu ser a eles — Quem és e o que fazes. Continua a fazer isso conhecido Para que teu amor por mim Possa estar neles, Exatamente como neles eu estou”. 

João 17

Podemos dividir esta gloriosa oração de Jesus em três partes importantes:

1– Jesus orar por si mesmo – Jo. 17:1-5
2– Jesus ora pelos seus discípulos – Jo. 17:6-19
3– Jesus ora pela sua igreja – Jo. 17:20-26

Que segurança nos traz, o saber que Jesus ora por nós, intercede por nós, clama ao Pai por nós. Não estamos a falar de um mero santo, não estamos a falar de uma imagem ou estátua. Estamos a falar do único mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, Homem. É ele que intercede em nosso favor. É Jesus quem nos leva ao trono da graça de Deus. É Ele quem não desiste de orar por nós, de cuidar de nós, de dar sentido à nossa vida.

Vejamos estas três divisões desta oração gloriosa de Jesus:

I – Jesus Ora Por Si mesmo – Jo. 17:1-5

“Depois de dizer isso, Jesus olhou para o céu e orou: “Pai, chegou a hora. Glorifica o teu Filho, para que o teu Filho te glorifique. Pois lhe deste autoridade sobre toda a humanidade, para que conceda a vida eterna a todos os que lhe deste. Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. Eu te glorifiquei na terra, completando a obra que me deste para fazer. E agora, Pai, glorifica-me junto a ti, com a glória que eu tinha contigo antes que o mundo existisse.” João 17:1-5

À primeira vista, esta oração de Jesus por si mesmo, em que Jesus clama ao Pai para que o Filho seja glorificado, pode parecer um pouco egocêntrica. Mas isso é apenas à primeira vista.

Jesus clama ao Pai que o Filho seja glorificado, para que o Filho glorifique o Pai, tendo a autoridade para conceder a vida eterna aos que crêem e conhecem o Filho.

Jesus, mesmo quando está a orar por si mesmo, o foco da oração, não é Ele, somos nós. O foco de Jesus não está em ser bajulado, elogiado. O foco de Jesus está em conceder-nos a vida eterna. Esta é uma das razões porque podemos confiar em Jesus, mesmo quando tudo corre mal. O foco de Jesus não é Ele mesmo, o foco de Jesus somos nós. Jesus não deu a Sua vida por Ele mesmo, Jesus deu a Sua vida por nós. Jesus não morreu na cruz do calvário por causa dos Seus pecados, Jesus morreu na cruz do calvário por causa dos nossos pecados.

Como é bom e seguro saber que Jesus ao orar por si, é apenas para que tenha a autoridade de dar a vida eterna a todos aqueles que acreditam e confiam nele.

Pergunta para reflexão:
Tens a certeza que recebeste a vida eterna?

Vida Eterna pode ser vista sob três perspectivas distintas:
1. Quantidade de Vida

Vida que não termina.
Vida que não acaba.
Vida que passa para além da morte.
Foi Jesus quem disse:

“Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá”

João 11:25.

2. Qualidade de Vida

Vida com sentido. Vida com rumo. Vida com propósito. Uma vida que nos possibilita ser à imagem daquele que salvou a nossa alma e perdoou os nossos pecados. Esta qualidade de vida, não é uma mera ausência de problemas, lutas, dores, enfermidades. É uma qualidade de vida, que não depende, das nossas mazelas, das nossas imperfeições, ou incapacidades. Uma vida em que a doença, ou deficiência não diminui ou anula o valor dessa vida. Esta é a razão porque não podemos defender a eutanásia. Alguém doente, alguém portador de uma deficiência, alguém que contraiu a covid-19, alguém que está em sofrimento profundo, não perdeu valor. A qualidade da nossa vida não depende do estado em que nos encontramos, das dificuldades que enfrentamos, ou dos vírus que contraímos.

O quadro “La Femme” de Picaso foi vendido por 150 milhões de dólares, não por causa da qualidade da tela, não por causa da qualidade das tintas, não por causa da qualidade da moldura. O quadro foi avaliado por 150 milhões de dólares porque a assinatura de Picasso foi reconhecida como autêntica. A qualidade da nossa vida, o valor da nossa vida, não está nas capacidades que temos, na beleza exterior que aparentamos, ou da nossa condição social. A qualidade da nossa vida está no facto de que a assinatura, do artista que pensou, desenhou, pintou, esculpiu a nossa vida, foi reconhecido como autêntica, sendo essa assinatura do criador de todo o universo. Isto leva-nos à terceira perspectiva do que é a vida eterna.

3. Santidade de Vida


Vida eterna não é apenas quantidade de vida, ou qualidade de vida. Vida eterna é santidade de vida. Defendemos a vida, como um direito alienável dos seres vivos, porque o primado da santidade da vida se sobrepõe ao primado da qualidade da vida. Mesmo sem qualidade de vida, existe santidade, dignidade da vida. Alguém que sofre de Alzheimer é tão digno como a pessoa mais saudável. Alguém que tem SIDA é tão digno como a pessoa mais saudável. Alguém que está em depressão é tão digno como a pessoa mais saudável. Esta é a razão porque se torna tão difícil hoje ter que escolher quem fica ligado aos ventiladores e quem não fica.

A vida é santa, porque o dador da vida é santo. A vida eterna é mais do que quantidade, é mais do que qualidade é santidade. Vida eterna é conhecer o único e verdadeiro Deus, e a Jesus Cristo que foi enviado, para que possamos ter vida e vida com abundância. Este é a verdadeira vida. Uma vida com um relacionamento pessoal com Jesus Cristo.

Pergunta para reflexão:
Qual destas três perspectivas da vida eterna é mais importante para ti? Porquê?

No v. 5, a oração de Jesus é: “E agora, Pai, glorifica-me junto a ti, com a glória que eu tinha contigo antes que o mundo existisse.” João 17:5
Mais uma vez, à primeira vista parece uma oração centrada em si mesmo. Mas se dermos a devida atenção ao texto, podemos ver a humildade de Jesus apresentada nesta frase.

A única coisa que Jesus pede, é que seja glorificado com a glória que tinha antes que o mundo existisse, com a glória que Jesus tinha antes de fazer por nós o que fez. Antes de humilhar-se ao ponto de fazer-se homem, sendo homem, ter-se feito servo, sendo servo tornando-se obediente até à morte e morte de cruz. Não sei como seria consigo, mas eu possivelmente seria tentado a pedir um pouco mais, do que simplesmente a glória que tinha antes de fazer tudo o que Jesus fez. Jesus não quer mais, Jesus não necessita de mais, porque a Sua missão não tinha a ver com Ele mesmo, tinha a ver connosco.

Esta humildade de Jesus leva-nos a confiar totalmente nele, mesmo quando tudo corre mal. Pois Jesus não desistiu de nós, quando tudo estava a correr mal para Ele. Mesmo na pior altura, mesmo no auge do maior sofrimento, Jesus não desistiu de nós e ainda clama, ainda ora para não desanimemos e não desistamos, tal como fez com Pedro. Mesmo no seu pior, Jesus clama pelo nosso melhor. Pedro não merecia. Pedro falhou inúmeras vezes. Nós não merecemos, falhamos inúmeras vezes, mas Jesus continua a interceder por nós. Não desanimes, não desistas.

Pergunta para reflexão:
“Mesmo no seu pior, Jesus clama pelo nosso melhor.” De que forma esta verdade, aumenta a tua confiança em Jesus?

Primeiro Jesus ora por si mesmo, mas fá-lo apenas por causa de nós, revelando a sua humildade. Fá-lo por nós, porque quer conceder-nos a Vida eterna. Humildade porque não quis nada mais do que a glória que tinha antes de fazer tudo aquilo que fez por nós.

Pergunta para reflexão:
De que forma a humildade de Jesus no versículo 5, pode ser uma razão para confiarmos nele?

II – Jesus ora pelos seus discípulos – Jo. 17:6-9

Jesus ora pelos seus discípulos com dois objectivos distintos:
No v. 11, Jesus ora: “Pai santo, guarda-os em teu nome”.
No v. 15, Jesus ora: “Não peço que os tires do mundo, e sim que os guardes do mal.”

Jesus ora pela nossa protecção. Jesus ora para que os seus discípulos fossem guardados. Jesus não ora para que os seus discípulos sejam tirados do mundo, mas que sejam guardado do mal.

Esta é mais uma razão para confiarmos em Deu mesmo quando tudo corre mal. Não, não somos tirados do mundo. Não evitamos os vírus e as adversidades que existem no mundo. Mas uma coisa podemos ter a certeza, Deus guarda-nos do mal, ou como dizem outras versões, Deus guarda-nos do Maligno.

Se Deus nos guarda do Maligno, que é o nosso inimigo mais poderoso, todos os outros inimigos nem perto chegam. No dizer de Paulo, “Se Deus é por nós quem será contra nós”. Isto não significa que não tenhamos pessoas contra nós, não tenhamos o diabo contra nós, que não tenhamos vírus contra nós. Significa que todas estas coisas podemos ser mais do que vencedores, porque apesar do que possa estar contra nós, Deus é por nós e isso é o mais importante.

Jesus não nos quer tirar do mundo, mas quer tirar o mundo de nós. Por vezes baralhamos estas duas coisas. Queremos deixar de estar sujeito às contrariedades e adversidades do mundo, mas queremos continuar a desfrutar dos prazeres do mundo. Jesus ora, não para saiamos do mundo, mas para que o mundo saia de nós, dos nossos corações, das nossas mentes.

Pergunta para reflexão:
Consegues sentir-te seguro, sabendo que Jesus ora pela tua protecção?

Isto leva-nos ao segundo aspecto da oração de Jesus pelos seus discípulos.
Jesus ora, não apenas para que os seus discípulos sejam guardados, protegidos, Jesus ora para que os seus discípulos sejam santificados.
“Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade.” João 17:17

É desta forma que a oração de Jesus, pelos seus discípulos é respondida. Não tirar os discípulos do mundo, mas tirar o mundo dos discípulos, tornando-os, santos, separados. Separados do pecado, separados daquilo que os afasta de Deus, preparados e equipados para um propósito, uma tarefa, um serviço específico. Preparados para serem sal e luz num mundo de trevas e corrompido. Os santos não saem do mundo, mas o mundo sai deles. Os santos não saem do mundo, os santos transformam o mundo. Os santos não saem do mundo, mas fazem uma nova história no mundo. Os santos até podem ficar em isolamento profiláctico, mas continuam a desempenhar a sua missão de serem Sal e luz, serem esperança, serem consolo, ajuda, em tempos de dificuldade.

Se és um discípulo de Jesus não tens que sair do mundo, mas o mundo tem que sair de ti.

Pergunta para reflexão:
“Se és um discípulo de Jesus não tens que sair do mundo, mas o mundo tem que sair de ti.” Concordas com a frase? Porquê?

III – Jesus Ora Pela Sua Igreja – Jo. 17:20-26

Jesus não apenas orou por si. Não apenas orou pelos seus discípulos. Jesus orou pela sua igreja. Jesus orou por aqueles que haveriam de crer por intermédio da palavra dos seus discípulos. Gente que não saiu do mundo, mas que o mundo saiu deles. Isto leva-nos a perceber que a nossa missão é igual à missão dos discípulos do primeiro século. Deus quer usar-nos para que muitos venham a crer no Evangelho, venham a crer em Jesus por intermédio de nós. E por isso Jesus ora, e nós devemos orar também

Dois aspectos importantes sobre os quais Jesus ora pela sua igreja:
Jesus ora por unidade da igreja
Jesus ora por um desejo Seu.

Jesus ora para que a igreja viva em unidade, seja uma verdadeira comunidade. A palavra comunidade divide-se e duas: “com” e “unidade”. A igreja é uma comunidade, um grupo de homens e mulheres que vivem em unidade. Claro que Jesus está a orar pela Igreja no seu todo. Não está a orar por denominações, ou igrejas independentes. Jesus está a orar pela Igreja, por todos os homens e mulheres, lavados pelo sangue de Jesus, independentemente da sua denominação. Sim é desta forma que devemos viver, em unidade, sem barreiras, sem títulos, sem rótulos.

Claro que a nível local, cada comunidade em si deve viver em unidade. “para que todos sejam um, Pai, como tu estás em mim e eu em ti. Que eles também estejam em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste.” João 17:21

O exemplo de unidade, o padrão de unidade é claro na oração de Jesus. Jesus disse: “como tu estás em mim e eu em ti”. Este é o padrão da unidade perfeita, para o qual cada um de nós deve trabalhar e cooperar. Sim é verdade que vivemos tempos em que não podemos estar juntos, mas podemos estar unidos. Não podemos estar juntos fisicamente, mas podemos estar unidos no mesmo propósito, no mesmo sentimento, na mesma tarefa, no mesmo Espírito, para que o resultado da nossa união seja que o mundo reconheça que Jesus é o Rei da glória, o Senhor dos senhores.

Também é verdade que é nos momentos em que estamos impossibilitados de estarmos juntos fisicamente, que aprendemos a valorizar o que temos, a igreja que temos, a comunidade que temos. Alguns desvalorizavam a possibilidade de estarmos juntos, por duas razões apenas, por tudo e por nada, agora sentem a falta, a saudade, a comunhão. Calma, este não é o fim da história, vamos voltar a estar juntos, vamos voltar a celebrar a Deus juntos no mesmo auditório. Mas mais importante do que estarmos juntos, é estarmos unidos como o Filho e o Pai estão unidos.

Pergunta para reflexão:
Qual tem sido o teu contributo para a unidade da Igreja?

O desejo pelo qual Jesus ora para que seja realizado é: “Pai, quero que os que me deste estejam comigo onde eu estou e vejam a minha glória, a glória que me deste porque me amaste antes da criação do mundo.”João 17:24

O desejo de Deus é que possamos estar com Ele por toda a eternidade, onde Ele estiver. Que desejo glorioso, que desejo maravilhoso. Jesus quer que possamos estar com Ele, onde Ele estiver. Esta é a razão porque Jesus orou pela sua igreja. Esta era a razão porque Jesus orava por Pedro, para que ele não desanimasse e não desistisse. Esta é a razão porque Jesus ora por nós, para que não desanimemos e não desistamos.

Permanece firme. Confia Nele mesmo quando tudo corre mal. Não queiras sair do mundo, mas deseja que o mundo saia do teu coração. Eu vou continuar a confiar em Deus mesmo quando tudo corre mal.

Pergunta para reflexão:
O desejo de Jesus é que possamos estar com Ele, onde Ele estiver. Qual é o teu desejo? Qual é a tua esperança?